segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

A mais difícil das conquistas

Gostar de alguém é a mais difícil das conquistas. Reescrevo agora porque andei pensando... O engraçado é que, quando a gente gosta, constata uma série de razões imponderáveis para que isso aconteça. Mas acontece e é simples. É um estalar de dedos, é um piscar de olhos e uma mão pousada sobre a perna ou um beijinho atrás da orelha ou a frase certa na hora certa ou um abraço que mais parece colchão de ar... Não é só isso, é claro. Mas é isso também e muito mais.

Porque, quando a gente gosta de alguém, nem é preciso dizer nada, os pensamentos são transmitidos pelo olhar e ainda assim as conversas não têm fim. Quando a gente gosta, não precisa estar junto o tempo todo para sentir a vastidão do sentimento; mas, estando junto, a despedida é a mais difícil das tarefas. Quando gosta, não precisa de cobrança, de agradecimento, de bater o pé, de impor opinião, de dar explicações; é tudo tão natural e óbvio que a gente agradece e explica e reflete por e sobre a perfeição do encaixe. Quando a gente gosta, a maior diversão de todas pode ser simplesmente estar junto em qualquer lugar, mesmo que sem música, sem banda, sem turma, sem festa, sem álcool.

Gostar de alguém é descobrir então que há uma razão para se estar aqui; é querer promover a felicidade de mais alguém além de si e promovê-la com prazer e por reconhecer que aquele sorriso é causa e efeito do seu, numa simbiose ininterrupta de felicidade e bem querer. Gostar de alguém é querer cercar a pessoa de momentos únicos, de boas recordações e de realidade também, porque não é só de sonho e ternura que se vive. Gostar de alguém é pirar um pouquinho, é esquecer que se tem umbigo, é se ver pelos olhos de outrem, é guiar a vida adequando dois caminhos para um ponto de chegada comum. Gostar de alguém é aprender, é ouvir uma cantora nova e por isso ter a canção preferida do momento; é ler o autor preferido do outro e descobrir que se tem muito mais em comum; é viajar nos relatos de viagens que o outro fez e fazer mil roteiros novos, a dois.

Gostar de alguém é traçar novas rotas no caminho, é mudar de perspectivas e de certezas, é queimar a língua, é pagar pra ver, é se perder e se sentir no lugar certo, é ser impulsivo sem arrependimentos. Gostar de alguém é embaçar um pouquinho a visão e mudar o destino e seguir às cegas, puro instinto. Gostar de alguém é a aposta mais prazerosa de ser feita e que não se tem como perder: porque quando a gente ganha, é felicidade que se recebe; e se se perde, é a alegria de ter vivido e ter tentado.

2 comentários:

Isabelle disse...

Marcele,
que lindo texto, a gente sente tudo desse jeito mesmo que você disse...
tão lindo, tão simples e tanto brilho que se dá a vida quando se gosta de alguém :)
compartilhei esse texto na minha página no facebook...outras pessoas merecem ler e passar também por aqui.
bjo!!

Dino disse...

"Descobri" o teu blog e já me deparo com um texto que publica o que eu considero difícil de descrever, meus parabéns Marcele.