sexta-feira, 20 de abril de 2012

Pesado

Eu sou mais feliz às sextas. Eu costumo repetir isso no Facebook quase toda sexta-feira e, em especial, naquelas em que o tic-tac do relógio era marcado com a batida ansiosa do meu coração. Só que hoje não. De repente, tudo muda. Dobra-se uma esquina, e um abismo. Dobra-se uma esquina, e uma ladeira tão íngreme, mas tão íngreme, que a gente perde o fôlego só de olhar e acha que simplesmente não vai ter perna para subir e continuar a caminhar.

Não, hoje não dá. É preciso repor a armadura, é preciso recuperar as forças, é preciso energia para subir a ladeira. Hoje eu só quero descobrir em que lugar está a força que sempre me moveu pra frente, que sempre me fez prosseguir. Eu sei que retornar não é uma opção e eu acredito que subir a ladeira me fará enxergar melhor o mundo, de um lugar mais alto, mais bonito talvez.

Uma amiga me mandou um email com as figuras abaixo. As frases estão em inglês, mas acredito que dê para entender. Não há como fugir do que é preciso enfrentar. Não há como empurrar com a barriga, fingindo não existir o que é real. Eu não procuro saídas tangenciais para os meus problemas, nem os pequenos, nem os grandes. Concluo, então, esperando que esse peso e essa dor que carrego e se avolumam nos meus ombros sejam meio para uma transformação mais profunda e para um final doce e feliz.