segunda-feira, 30 de maio de 2011

Sobre o tempo

Eu sei que só ele é capaz de fechar as feridas que foram abertas. Eu sei que só ele é capaz de abrandar as dores mais lancinantes, de acalmar os corações mais aflitos, de enternecer a alma, de produzir a experiência que cura a ansiedade. Só ele que traz gratas surpresas, faz tricô com os laços que a gente carrega pela vida, coloca o inesperado numa curva do caminho e traz a cola de boa qualidade para juntar todos os caquinhos em que se foi partido. É ele que faz com que as coisas ganhem novas perspectivas, é ele que brinca com os nossos sentimentos: quando queremos velocidade, ele anda devagarinho; quando queremos devagar, a velocidade da luz. É ele que é peralta com nosso coração e transforma aquilo que fez a gente se sentir minúsculo em motivo de boas gargalhadas. Faz com que as boas gargalhadas virem doces recordações. Faz com que esqueçamos quem nos magoou e porque fizeram isso e que fiquem guardadas para sempre o melhor de cada coisa e de cada pessoa. Ele dá tons de rosa ao que era cinza e pinta de azul o inverno. Ele faz crescer a nostalgia por uma infância que foi bem vivida e por uma adolescência bem aproveitada. Ele transforma o amor mais doente em coisa de adolescente e o amor mais feliz em saudade que se gosta de ter. O tempo é amigo, não posso negar, e age ininterruptamente em cada um com seu poder de império inescapável. O único problema é que ele passa diferente para cada pessoa, os ciclos terminam em tempos diferentes para cada um. Meu medo é que o tempo da cura seja maior que o tempo de espera e que, lá no final dos tempos, não esteja você.

5 comentários:

Anônimo disse...

"A vida já é curta e nós a encurtamos ainda mais desperdiçando o tempo". (Victor Hugo)

Rosangela.

Idê Maciel disse...

... Deus é o senhor do Tempo. Ele dá condição de o tempo de espera ser igualmente vivido num tempo de cura e desde todo sempre, muito antes de, Ele já fizera uma encruzilhada para encontros duradouros, eternos e felizes... Na minha adolescência (quase ontem...) já se dizia: "Dá tempo ao tempo que o tempo no tempo se revela" e o encontro de um amor não fortuito, mas maduro acontecerá no tempo certo. Acredite! bjs

Anônimo disse...

Oi Marcele! Que texto mais lindo minha querida!
Gostei muito do comentário da Idê.
Mas só a gente é que sabe como é complicado esse nosso tempo de cura e tempo de espera. Quanto mais a gente quer tempo , mas ele foge da gente né? Aí eu fiquei pensando na frase que a Rosangela postou do Victor Hugo e percebo que mesmo complicado, mesmo difícil, mesmo doendo, mesmo com medo, não podemos perder tempo e esperar pra ser feliz.
Seja feliz Marcele. Busque esta felicidade que te acalma a alma, a cicatriz será eterna e vez outra vai doer, mas não espere pra ser feliz. E daí que seja breve? e daí que seja só o começo? que não seja maduro? Já doeu muito e agora é tempo de sorrir.
Beijos,
Selma.

Mirys + Guigo + Nina disse...

Amiga:

Vim te convidar (aqui pelo bloguitcho também... porque já te mandei um e-mail) pra participar da BLOGAGEM COLETIVA SOBRE FAMÍLIA E AMOR!!!

Ninguém melhor do que você para falar disso...

E, amanhã, não se esqueça de "gastar tempo com quem você ama"!!!

Bjos e bençãos.
mirys
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

Anônimo disse...

Hoo Marcele...ao mesmo tempo que o tempo cura, ele também faz esquecer, apagar. Ao mesmo tempo que é amigo, é cruel pois não espera. O tempo não espera! E tem gente que cansa de esperar. E não é por não nos amar não...não é isso. Mas é que todo mundo quer e tem o dever de aproveitar o tempo.

..."Será que é tempo
Que lhe falta para perceber?
Será que temos esse tempo
Para perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara...

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para
A vida não para...

A vida não para..."
(Paciência - Lenine )

Beijo, Maria Lúcia.