sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Grandão - futuro leitor

Eu sou completamente apaixonada por letras e histórias e poemas e contos e crônicas e enfim... Eu leio, gosto de ler, me empolgo com livros, me perco em livrarias e sou muito mais tocada por palavras escritas que por ditas. Quem me conhece, sabe. Eu sou assim. A leitura e a escrita é parte importante daquilo que eu sou e eu me orgulho disso. Mesmo.

Meu grandão mais velho está em pleno processo mágico de descobrimento das palavras. Ainda no último ano da educação infantil e lendo, gente! Claro que ele ainda não senta e abre um livro, cruza as pernas e lê, mas ele já reconhece os sons das letras e concatenando-os entende que palavra está ali. Hoje passamos um bom tempo numa brincadeira linda em que eu escrevia palavras (a maioria bem simples, como: bola, cola, bota, baba etc) e ele lia.

Mata a mãe de orgulho, faz lágrimas marejarem em meus olhos, faz um sorriso bobo surgir na minha face, faz eu comemorar como se copa do mundo fosse cada palavra que lê certinho sem ajuda, faz meu coração se encher de esperança de que eu tenha um filho leitor voraz como eu. Mas também vem sem querer um pensamento constante de como seria se ele ainda estivesse aqui. Sei que orgulhoso, sei que muito feliz, sei que assistindo incrédulo a mágica da alfabetização que agora me encanta. Sei que, em algum lugar, ele vibra.

Parabéns, grandão!!!

5 comentários:

Anônimo disse...

Realmente é de se encher os olhos mesmo! E com certeza, se Ele estivesse aqui, a vibração seria maior ainda.
Mas onde quer que ele esteja, fica muito orgulhoso vendo o "Grandão" crescer tão rápido, e tão inteligente.
Parabéns e Beijos!!!

Tia Manu da Vovó Paula.

Anônimo disse...

Poxa, parabéns Thiago!
Sei que seu papai tem também muito orgulho de vc...Ele está sim pertinho! Pode crer. Bjo
Ju.

Idê Maciel disse...

... quando você era pequena, filha, na mesma idade que ele, porém já perto dos seis, e saíamos às compras, bancos, etc... você ia lendo tudo que via pelo caminho soletrava e perguntava-me quando não entendia bem. Tipo assim: “mãe, um m, um é e um s como lê? Eu respondia: mes... e você: e um b, um l e um a? e eu bla e você, juntando as partes lia: Mesbla! E nunca mais me perguntava aqueles pedacinhos, porque onde houvesse palavras com eles você “decifrava” pela fonética. Era para mim muito interessante e, sobretudo, comovente e eu me envolvia por inteiro. Também Tiago Luiz “leu” bem antes do tempo. Lembra a história do pito e da tia?
Parabéns a você pelo incentivo e exemplo de leitora/escritora que se tornou. E muitas bênçãos aos meus netos lindos e inteligentes. Que Deus os proteja sempre! bjs

Idê Maciel disse...

Para esclarecer: que Matheus e Thomás - tenham em você e na memória do Pai deles - nosso inesquecível Thiago - verdadeiros exemplos a seguir. Mammys

Mirys + Guigo + Nina disse...

Amore:

Sabe que EU entrei em crise, quando o Guigo começou a ler?! Eu me sentia a pessoa mais egoísta do mundo, porque só eu podia ver aquilo e o pai dele, não. Absurdo, eu sei... mas a gente não controla muito o que sente, né?

Já com a Helena foi menos impactante, menos mágico... mas menos dolorido, também.

Bjos e bençãos.
Mirys
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com