quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Falsas Ameaças

(Por Ana Jácomo)
 
Na dúvida, atirou.
 
Só depois que o suposto adversário caiu, percebeu que aquilo que ele carregava, aquilo que jurou ser uma arma ao olhar de longe, os olhos atrapalhados pelo nevoeiro da confusão, aquilo não era arma nenhuma.
 
Aquilo era só e era muito uma flor.
 
Antes de atirar e talvez ferir amores, é sábio arriscar alguns passos e deixar o coração chegar mais perto pra ver melhor. Pra ver além.
 
Muitas vezes, o único inimigo, a verdadeira ameaça que nos desafia por mais mentirosa que seja, é o nosso medo.

4 comentários:

Anônimo disse...

Cele
já falei.
Uma mulher poderosa como vc não precisa passar por isso.Deixe isso para as fracas.

Debby disse...

Estou passando rapidinho para te
Feliz Natal!

Bjs
Debby :)

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Cele, putz! Bem pensado isso!
Gostei muito.
Beijo no coração.
Manoel.

Idê Maciel disse...

O que? Quando? Onde? Esse texto por acaso não é da Ana Jácomo? Quem está mesmo passando pelo que? Interpretação de texto: zero!!! Ou melhor intencionalidade...