quinta-feira, 30 de junho de 2011

Eu quero amor

Eu não estou à toa, topando qualquer parada, aceitando pouco, comendo restos e vivendo atrás de migalhas. Eu não estou por aí, em busca de braços abertos que oferecem encontros efêmeros, beijos furtivos, companhia momentânea. Eu não estou mais arrastando correntes por todos os cantos onde bato meus saltos, eu não ando com a cara curtida pela dor, eu não me deixo encantar por demonstrações mínimas e imprudentes e levianas de afeto.

Não, eu não vou aceitar qualquer cantada barata sussurrada ao pé do ouvido. Também não brilharão meus olhos por conta de mensagens de texto que chegam no meio da madrugada perguntando se estou disposta a beber alguma coisa. Não quero dividir mesa, prato, tempo com quem está de passagem pelo meu caminho, com quem é esquina e não, estrada; com quem é temporário. Eu não vou engolir desculpas, ladainhas e conversinha mole de quem não sabe o que quer nem para onde está indo.

Eu sei de mim, eu sei do que me habita e dos meus quereres. Eu reconheço o que é terra firme onde eu posso construir meus castelos. Eu sei quem pode salvar minha vida sem melodrama, sem achar que está fazendo um grande feito, mas tão somente vivendo o momento e agindo como tem vontade de agir. Eu sei que eu posso ser educada, gentil, amiga e até confidente, mas eu posso ser muito mais que isso para um só.

Eu quero ser importante na vida, eu quero contar e confiar quando os dias forem nublados, eu quero conhecer tão profundamente que as palavras sejam dispensáveis, eu quero saber de cor os sinais e marquinhas espalhados pelo corpo, eu quero conhecer o cheiro e o gosto de cada cantinho, eu quero deitar num espaço meu entre os braços mais aconchegantes do mundo inteiro. Eu quero o que é verdadeiro, o que é certo, o que é pra sempre, o que vem pra ficar. Eu quero amor.

10 comentários:

Silvana Alves disse...

vc quer o que é de Deus.. e tudo que Deus dá é real e eterno.

Idê Maciel disse...

Me too: to me and to you...

Laninha disse...

Caí de pára-quedas aqui no seu blog, rs
Primeiro vi que somos conterrâneas e em seguida esse texto lindo, adorei e queria autorização pra repostá-lo no meu blog...=\
Já tou te seguindo
Adorei seu blog!
bjinho

Isabelle disse...

Assim que é viver de verdade,sem máscaras e artifícios...O mundo precisa de mais amor!!
Beijo!!

Laís disse...

Lindo, lindo! Você disse tudo o que eu sinto e que, por mais que goste de escrever, não consigo dizer tão belamente.

Posso colocá-lo no meu blog? rs
Darei os devidos créditos, claro!

Abraços!

Cele disse...

É claro que pode publicar, Laís! Obrigada!

Laís disse...

Obrigada a vc, Marcele! Já postei no meu blog... Lindo demais!

Abraços!

Suelen Rauber disse...

Cele!!!!

Lindo post! Eu quero amor também. Amor de verdade, amor de entrega, amor que não machuca, não apunhala, não trái. Amor, somente.

Marisa Rocha disse...

Marcele

Que lindo! E é a tua cara...

Beijos pra você e para os seus.

Tininha disse...

Ai, Cele! Que legal! Adorei esse texto! Já o publiquei no Facebook, aproveitando sua permissão, claro! Tb já sou sua seguidora desde blogs pretéritos!
rsrsrsrs...
Vc continua magnífica!
Bjs
Tininha