segunda-feira, 11 de junho de 2012

Prenúncio

As professoras dos meninos entraram em contato comigo para informar que a escola, antes das férias do meio do ano, solicitaria que seus alunos elaborassem um desenho para o Dia dos Pais (OI??? JÁ???). A antecedência nos afazeres era por conta de que estes desenhos seriam transferidos para uma caneca que seria o presente a ser ofertado pelas crianças. E lá vou eu, com dois meses de antecedência, adentrar o tema com os meus pequenos.

Batemos altos papos quando vou colocá-los para dormir. Não foi diferente dessa vez. Estávamos conversando, já deitados no quarto deles, quando eu lembrei e introduzi o assunto:

Eu: Gente, eu queria falar sobre uma coisa com vocês. É que lá na escola vai ter a Festa do Dia dos Pais e, assim, vocês sabem que o papai de vocês já está lá no céu, do ladinho de Deus, e que não vai poder comparecer, né?

Matheus: É, mãe, a gente sabe...

Eu: Pois é... Aí, tem a festinha com a dança e tudo mais. Mas tem ainda um presentinho para o papai e as professoras vão pedir para que vocês façam um desenho. Eu queria saber se vocês querem participar, se querem fazer o presente...

Matheus: Mãe, as almas das pessoas que já morreram podem voar, né?

Eu: ...

Matheus: Então, mãe, meu pai vai descer lá do céu pra ver o dia da dança pra ele. Depois ele volta pra lá.

Thomás: Só que a gente nem pode ver ele. (sic)

Eu: Mas e o presente? Vocês vão querer fazer o presentinho mesmo sem poder entregar?

Matheus: Eu quero! E eu vou entregar pra você que é como se fosse meu pai também.


Hoje eles foram instados a fazer o tal desenho e, quando eu cheguei em casa, vieram me comunicar:

Matheus: Mãe, eu fiz o desenho do Dia dos Pais hoje.

Eu: Foi, amor? O que você desenhou?

Matheus: Ah, eu não desenhei meu pai porque ele já morreu. Então eu desenhei você.

Eu: Obrigado, amor.

Thomás: Mamãe, o A. disse que meu pai não tinha morrido, não, que ele tava na nossa casa. E eu expliquei pra ele que meu pai tá no céu e que eu queria desenhar você.

(FIM)

PS: Prometo mostrar as canequinhas quando ficarem prontas.



5 comentários:

Mirys + Guigo + Nina disse...

E lá vamos nós, de novo, minha amiga, passar por mais um dia dos pais... e mais um aniversário... e mais um aniversário de casamento... Sorte que o tempo (que não apaga NADA) ajuda a tornar as coisas um pouco mais tranquilas, né?

Os meninos me lembraram, agora, da Nina pedindo para eu mandar para-quedas e cordas para o céu, para o pai poder descer, me dar um beijo, brincar com ela, "depois ele voltava"...

Como eu queria ter só 5 anos....

Bjos e bençãos.
Love you all!
Mirys
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Aquilo que pode parecer tão complicado e dolorido pra gente, torna-se tão leve na cabeça da criança, né?
Beijos!
Selma.

Debby disse...

Nossa.. Cele
Agora você me fez chorar...
E me colocar no seu lugar... O pai do João não morreu mora no Rio Grande do Sul e se comporta como tal.
Eu sincera e honestamente não estou preparada para perguntas assim e responder esse tipo de pergunta.
Porque não foi uma fatalidade que tirou a figura do pai dele entende ?
Meu pequeno tem 02 anos e 05 meses.
Oro a Deus pedindo força, equilibrio, e principalmente sabedoria.. para quando o João talvez quem sabe um dia me perguntar
-Mãe porque meu pai não vem para a festinha ficar comigo.. ?
Nossa meu coração chega a ficar apertado.
Bjs bjs
Debby :)

Raquel Duarte disse...

Que coisa mais linda, Marcele! A sua capacidade de superar a dor foi tanta que hoje se reflete nos seus pequenos. Tenho certeza que o amor de Deus está presente na sua vida e na de sua família.

Tô doida pra ver as canecas! :)

Beijos!

Fatima Vila Nova disse...

Meu marido perdeu o pai com seis anos e a mãe o colocou num colégio interno...Pode!!!! Superou toda dor depois que tivemos nossos filhos!
Um amigo de meu filho faleceu e qdo meu filho vai visitar sua filhinha pois eram muitos amigos, ela sempre diz apesar de ter só 3 aninhos: O amigo de papai...
São tantas coisas que vemos acontecer nesse mundo de meu Deus...
Você me fez chorar agora... Ou melhor, os meninos me fizeram chorar... Pois apesar de serem tão pequenos conseguem superar tudo graças ao amor e a confiança que você passa para eles.
Quero ver as canecas... Um beijo em Thomás e Matheus